Celebração do Dia

03 DE JULHO
Festival celta celebrando a deusa da fertilidade e inspiração Cerridwen, a dententora do Caldeirão Sagrado da transmutação e Grande Mãe da vegetação. Seus símbolos eram o caldeirão, o cálice, a porca branca e os cereais. Comemoração de Zytniamatka e de Kornmutter, as mães do milho na antiga Prússia e na Alemanha, deusas da agricultura e dos cereais cujo espírito ficava retido na última espiga da colheita. Essa espiga era transformada em boneca e guardada até a próxima primavera quando, durante um ritual, era enterrada na terra arada para favorecer o plantio e a colheita. Dança do milho verde dos índios Seminole, na Flórida, homenageando a deusa da agricultura Selu e seus consorte Konati, o senhor da caça. Segundo a lenda, Selu, antes de morrer, ensinou seus filhos a fertilizarem a terra com seu sangue para que o milho pudesse crescer. Na Micronésia, os povos antigos comemoravam, neste dia, Lorop, a criadora, deusa que alimentava seus filhos com peixes e frutas. No Havaí e Nova Zelândia celebrava-se Haumea, a deusa da fertilidade, da vegetação e do nascimento. Mãe de Pele, a deusa do fogo vulcânico, ela ensinou às mulheres o parto normal.

*informações extraídas do livro “ O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.

Próximos rituais

Todos os rituais são realizados na UNIPAZ - Brasília
Energia de troca: R$ 15,00

Atenção: Os portões serão fechados às 20h30. Não será permitida a entrada após esse horário.

Pedimos a gentileza de não fotografar, filmar, gravar ou realizar qualquer outra forma de registro antes, durante ou após os rituais, sem autorização da Teia de Thea.

Informações: 8233-7949 ou teiadethea@teiadethea.org

Plenilúnio: Deusas Parteiras e da Fertilidade

Data: 1º de julho

Vestir saias ou vestidos verdes

Lista de material:
* vela laranja dentro de um copo
* sementes de flores ou ervas
* canetinha hidrocor verde
* uma bola de algodão
* tambor ou chocalho, se tiver.

Somente para Mulheres

# Recomendamos usar agasalhos e não levar crianças