Ritual Deusa Ártemis – 07 abril de 2020

Irmãs amadas, preparamos um ritual especial de conexão e fortalecimento de nossa egrégora, para que juntas vivenciemos a força de Ártemis, tão preciosa nesse momento desafiador que toda humanidade vive.

Com amor, Paty Brauner e Kellen


Quando: 07 de abril- Terça-feira, 20h

Como: De nossos lares, individualmente, nos conectaremos à irmandade

O que você precisará:

* vela verde,

* incenso de flores,

* pedras ou cristais verdes,

* uma imagem ou símbolo da Deusa.

Separe seu tambor ou chocalho.

(Não saia de casa para buscar qualquer desses elementos, use o que tiver em casa. O mais importante é sua segurança e a intenção #ficaemcasa)



Preparação

Busque um lugar tranquilo em sua casa onde você possa permanecer em silêncio por uns 40 min, se tiver oportunidade que seja próximo a natureza (não se exponha a risco!!!! Uma janela onde tenha vistas de arvores já basta).

Prepare um pequeno altar para você:

• Ar (leste): Incenso flores

• Fogo (sul): Vela verde

• Água (oeste): Uma taça com água (preferencialmente da chuva)

• Terra (norte): Cristal e pedras verdes

• Centro: Imagem da Deusa ou de um dos seus símbolos (ex: lua crescente desenhada em um papel)

Como sugestão: podemos usar a tecnologia para nos apoiar nesse ritual. Grave a meditação antes do ritual para que no momento mágico de estarmos todas juntas, você vivencie a conexão sem a preocupação de ler o texto.





Ritual

1. Purificação

Inicie seu ritual purificando-se com os quatro elementos do seu altar. Comece pelo incenso pedindo que o ar acalme seus pensamentos e te traga para o agora. Siga para o fogo e peça que transmute os medos. A água limpa teu coração, levando as dores e tudo o que está difícil por hora. Peça à terra que purifique todos os seus corpos (físico, espiritual e mental). Respire profundamente e sente-se confortavelmente no teu lugar escolhido. Toque seu tambor/chocalho por alguns minutos, até que te sinta pronta para atravessar o portal.


2. Senha

Atravesse o portal dessa lua plena, ouvindo a Deusa te soprar: Eu sou a Deusa arqueira, minha seta te guia nos teus desafios e minha força repousa no teu coração.


3. O Céu da Noite

O Sol está em Áries oposto à Lua em Libra. Júpiter e Plutão estão em conjunção no signo de Capricórnio. Marte começa a se distanciar de Saturno em Aquário.

A Lua cheia é sempre um momento em que é possível se olhar com mais clareza, pois a luz do Sol (que representa a consciência) chega à Lua (que representa o subconsciente e o emocional), de forma direta e intensa, iluminando por completo uma de suas faces. A Lua em Libra desperta a sensibilidade para o outro, permite usar o outro como espelho, e valorizar a importância de ambientes harmônicos, no entanto, neste período em que o distanciamento social e o confinamento estão sendo exigidos, a convivência forçada pode ser um ponto delicado. O Sol em Áries traz a força individual, a força da vontade, da coragem e, também, a força da ação e, portanto, este pode ser um momento em que se deseje fugir das responsabilidades; mas não se engane, o aprendizado de evolução está em conseguir acessar de forma verdadeira e intensa as suas virtudes e forças de caráter (sabedoria, coragem, justiça, perdão, prudência, criatividade, vitalidade, perseverança, liderança, gratidão, amor, generosidade, bom humor e tantas outras) para conseguir atuar de forma íntegra e autêntica no movimento de transformação planetária exigido neste momento.

Acordos de convivência coletiva podem ser interessantes para melhorar o ambiente em que se está vivendo, mas é muito importante que esses acordos contemplem todos, não pode ser um acordo que sobrecarrega alguém. A criatividade e a inovação estão a seu favor, invente e ouse fazer diferente sem abrir mão da responsabilidade pessoal, ou seja, dentro das normas de saúde exigidas no momento.



4. A Deusa Ártemis

No mito grego Ártemis aparece como filha de Zeus e Leto (que originariamente era uma deusa pré-grega chamada apenas “Nossa Senhora”), que tinha sido amaldiçoada pela Hera para não poder parir em nenhum lugar onde os raios solares incidissem. Leto foi ajudada pela sua irmã Asteria, que se transformou em uma ilha mágica, Ortigia, que flutuava sob a superfície do oceano e assim sendo, livre da maldição. Ártemis nasceu com facilidade, mas como seu irmão gêmeo custava a nascer e Leto sofria dores terríveis, Ártemis a ajudou trazer Apollo ao mundo. Foi assim que se originaram os nomes de Ártemis como Eileithya e Partenos, a Parteira amorosa e o título de “Aquela que trazia a luz”. A ilha m ágica - renomeada Delos (“brilhante”) - foi consagrada a Ártemis e Apollo, sendo que lá nenhum ser humano podia nascer ou morrer.

Quando Ártemis completou três anos, foi apresentada ao seu pai e Zeus encantado com sua precocidade lhe ofereceu quaisquer presentes que ela quisesse. Ártemis pediu para jamais precisar casar (e assim permaneceu, sendo imune aos encantamentos de Afrodite e Eros), ter mais nomes do que seu irmão, mas ter arco e flechas como ele, poder usar sempre uma túnica curta para correr à vontade nos bosques, ter como companhia sessenta ninfas do oceano e trinta dos rios que cuidassem dos seus animais, reger a Lua e a luz (na sua qualidade de Phoebe, “a luminosa”), ter o domínio das montanhas e florestas e o direito de fazer sempre suas próprias escolhas.

Assim como Athena e Héstia, Ártemis era virgem, ou seja, tinha autonomia e independência, liberdade para agir seguindo seu instinto, jamais se submetendo ao domínio ou controle masculino. Ela prezava sua liberdade e defendia o Seu espaço, transformando os intrusos em animais, bem como protegia as crianças e animais recém-nascidos com a ferocidade da ursa, que era o Seu animal totêmico (além do cão, veado, corça, lebre, javali, lobo, cavalo) e que a personificava como a Mãe Ursa.

Artigo completo sobre a Deusa: http://www.teiadethea.org/?q=node/140



5. Abertura dos portais

• Leste – Ar: “Eu saúdo os guardiões do portal do Leste, a Corça e seu espírito ligeiro e evoco o elemento ar. Que os ventos tragam a renovação e a elevação dos nossos pensamentos em sabedoria e esperança”

• Sul – Fogo: “Eu saúdo os guardiões do portal do Sul, o Lobo trazendo a liberdade e evoco o elemento fogo. Que o fogo possa transmutar nossos sentimentos negativos e de desesperança e iluminar nosso caminho nessa jornada”

• Oeste – Água: “Eu saúdo os guardiões do portal do Oeste, a Carpa e evoco o elemento água. Que as águas das fontes límpidas possam renovar nosso espírito trazendo fluidez, aceitação e a ampliação da nossa percepção sutil. “

• Norte – Terra: “Eu saúdo os guardiões do portal do Norte, a proteção do grande Urso e evoco o elemento terra. Que a terra nos ofereça sustentação, proteção e nutrição no nosso caminhar sobre o seu solo sagrado.”

• Centro – “Invoco a presença da Deusa Ártemis, Senhora arqueira e protetora das mulheres e da vida selvagem. Que possamos restaurar a nossa liberdade e autonomia. Acalme nossos espíritos, na certeza de que tudo passa e se transforma. Que sua flecha, que nunca erra, mostre-nos o caminho da transmutação.”

• Circulo de proteção: Visualize um raio de luz verde saindo do teu coração. Essa luz se expande e toma o tamanho de uma grande esfera que circunda todo o teu lar. Perceba como do lado externo da esfera, o verde se transforma num dourado, espelhado, mantendo toda e qualquer energia dissonante afastada de ti e de tua casa.



6. Meditação/prática mágica

Tenha em mãos, sua pedra/cristal verde. Feche os olhos e respire profundamente por três vezes.

Imagine-se entrando em uma mata com árvores altas e antigas, onde a vida permanece no seu estado mais puro e selvagem. Ao longe, você ouve sons de tambores, e observa um grupo de cervos correndo na mata. Teu coração pulsa mais forte. Corra com eles, sentindo o toque das folhas das pequenas árvores no teu corpo. O vento que brinca com teus cabelos e os cheiros que inundam teus sentidos.

Bem a frente do bando você vê uma mulher, vestindo uma túnica curta, ela tem os cabelos soltos e em sua mão um arco. Logo, você e os cervos chegam numa grande clareira, formada por gramas verdes e vistosas e uma pequena cachoeira ao lado, uma fonte mágica, intocada pelo homem. Ao lado, com os pés na água, novamente a mulher de túnica curta e alva se apresenta.

Uma mulher bonita, com seus cabelos escuros caindo no ombro e um crescente lunar brilhante na testa. Ela te sorri e com os olhos te convida a se aproximar. Quanto mais se aproxima dela, mais forte fica a sua respiração e você sente a energia da água entrando pelo teu corpo, a partir dos pés, fazendo todo o teu ser vibrar.

Você a conhece, é Ártemis e Ela tem em suas mãos seu arco. Ela te sorri e com um olhar cúmplice, vê em ti a guerreira que és. Lágrimas caem dos teus olhos e Ártemis te acolhe em um longo e profundo abraço. Mergulhe em Seus braços. Entregue à Ela suas angústias, medos e o cansaço.
Ela te convida a sentar à margem. Ártemis entra novamente na água e de lá te traz um presente: uma pedra energizada, que irá te ajudar a manter o foco, a força e a sabedoria. Ela reconhece sua luta, sabe que os desafios impostos estão começando e te abençoa com Seu arco. A benção percorre seu corpo como um bálsamo, um refrigério em tempos tão difíceis.

Antes de continuar Sua corrida pela mata, Ártemis se despede com um largo sorriso e deposita em ti a certeza de que tudo ficará bem.

Despeça-se da Deusa e agradecendo profundamente ao presente você sai da clareira e começa o caminho de volta pela mata.

Retorne pelo lugar onde veio.

Toque teu tambor e busque no teu coração as respostas para os desafios atuais. Sempre que te sentir vacilante, recorra ao presente de Ártemis e toque sua pedra, restabelecendo sua força de guerreira.



7. Encerramento

Agradeça aos guardiões de todos os portais pela proteção durante o ritual e despeça-se dos elementos. Expanda a esfera verde e dourada para todo o planeta Terra. Que a liberdade seja restaurada a todos os seres.

Assim é!!

HO!!!