Ritual Anuket - 07 de maio de 2020

07 de maio, quinta-feira, às 20h

Vestir saia ou vestido vermelho ou roupas egípcias, joias e/ou bijuterias de ouro/douradas e olhos pintados (tipo egípcio).

Lista de material:

* 1 vela na cor vermelha,

* espelho,

* serpente (foto ou objeto ou desenho),

* desenho de uma cruz ansata ou ankh,

* essência de rosas ou lavanda,

* 1 flor para usar nos cabelos,

* Incenso de lavanda.

(Não saia de casa para buscar qualquer desses elementos, use o que tiver em casa. O mais importante é sua segurança e a intenção
#ficaemcasa)

Purificação

Espargir água com essência de rosas e passar o incenso de lavanda. Não deixe de passar inclusive na serpente.

Altar

O altar é o ponto focal de energia de um ritual e deve trazer os quatros elementos que são distribuídos de acordos com as quatros direções cardeais. Ao centro, colocamos uma representação da Deusa.

Procure um espaço dentro da sua casa para montar o seu altar. Sugere-se uma toalha com cor clara que possa destacar os elementos dispostos nas quatro direções e, preferencialmente, o formato circular.

Leste – Elemento Ar – incenso de lavanda e/ou athame;

Sul – Elemento Fogo – Vela de cor vermelha. Caso não tenha disponível, neste momento de pandemia, utilize a vela que tiver em casa. Coloque a representação da serpente nesta direção (imagem ou desenho ou peça de madeira).

Oeste – Elemento Água – vasilha com água que representará as “águas do rio Nilo”. Opte por um recipiente que permitirá que você possa molhar e mover as duas mãos como uma pequena bacia ou um recipiente ovalado. Pingue algumas gotas de essência de rosas ou lavanda.

Norte – Elemento Terra – Cristal na cor azul ou esverdeada ou dourada (ex: Amazonita, turquesa, calcopirita, pirita, etc) ou flores ou uma fruta vermelha.

Centro – Representação da Deusa Anuket – Imagem ou desenho da Deusa ou da Cruz Ansata (Ankh). Como sugestão, você pode utilizar também um oraculo que tenha uma lâmina com a imagem da Deusa Anuket.


Música de conexão: We are the Women (Lisa Dancing-Light – Sophia Songs)



Ritual

1. Purificação

Espargir água com essência de rosas e passar o incenso de lavanda. Não deixe de passar inclusive na serpente.


2. Presságios astrológicos

A Lua se encontra no signo de Escorpião, o que significa que nosso emocional está mais sensível ao nosso subconsciente. Portanto, temos mais acesso aos medos, às feridas, às dores e, também, ao mistério, ao desafio do desapego, do perdão e da cura.

O Sol se encontra em conjunção com Mercúrio no signo de Touro, fazendo esta oposição à Lua, e traz a força do material, a importância de pesar e verificar o que realmente está acontecendo e o que é possível realizar, quais recursos você tem disponíveis. O signo de Touro é do elemento terra, está relacionado ao plantar e ao colher, está associado à abundância da terra e nos chama, nesse momento, para nos informarmos e para validarmos o que dessas perdas e receios são reais. Pois, para prosperar é necessário vencer obstáculos e não deixar que o medo ou a dor lhe levem para o lugar de vitimização.


3. Evocação das Direções e Invocação da Deusa

Leste: Evocamos os poderes do ar e pedimos a abertura do portal do Leste. Que os ventos da tempestade do deserto removam as ideias ultrapassadas e as amarras do passado. Que possamos voar nas asas do sagrado Íbis e nos libertar dos bloqueios mentais. Que seja assim! (Ibis é um pássaro sagrado do Egito, representação do Deus Thot – um deus lunar).

Sul: Evocamos os poderes do fogo e pedimos a abertura do portal do Sul. Que o as salamandras das areias quentes do deserto possam dançar conosco esta noite, purificando nossas auras e expandido nossa energia. Que seja assim!

Oeste: Evocamos os poderes da água, do rio Nilo e pedimos a abertura do portal do Oeste. Que as águas do Nilo transbordem limpando, lavando e levando as nossas mágoas e ressentimentos do passado. Que as águas do Rio Nilo nos tragam fluidez e abundância para a concretização dos nossos sonhos. Que seja assim!

Norte: Evocamos os poderes da terra e pedimos a abertura do portal do norte. Que a terra do Sagrado Egito antigo nos ofereça abrigo, sustentação, segurança e proteção. Que a terra fértil do rio Nilo fortaleça as nossas decisões na realização das nossas aspirações. Que seja assim!

Centro: Invocamos Anuket, Deusa egípcia da água, da fertilidade e da Terra. Para que nos traga a união da nossa sororidade, Teia de Thea, e a esperança de dias melhores. Pedimos a nutrição através do seu múltiplo abraço e com ele o reconhecimento da nossa capacidade de gerar novos projetos.



Círculo de proteção: Vamos juntas visualizar três raios de luz nas cores azul turquesa, vermelha e dourada girando e se misturando ao nosso redor, criando um círculo de proteção a nossa volta, acima e abaixo. Dentro deste círculo mágico estaremos protegidas durante todo o ritual. Que seja assim!

4. Mitologia Anuket
Anuket: a Deusa do múltiplo abraço

texto de Mirella Faur


“Tu és a Nutridora

Que nos alimenta e sacia a nossa sede;

Tu és a Criadora

De todas as coisas que sustentam a vida;

Tu és aquela que abraça

E cuida dos pobres e necessitados.”

Hino dedicado a Anuket




Na cultura egípcia, a reverência ao Sagrado Feminino remonta a era neolítica. A representação da criadora assumiu várias manifestações que podem ser sintetizadas na imagem da “Árvore da Vida”, que oferece, pelos seus frutos ou folhas, a água da vida, seja para a existência terrena, seja para a passagem da alma de uma dimensão para outra.

Inúmeras estatuetas de argila comprovam que a antiguidade dos cultos de diversas Deusas remonta à uma época entre 5500 e 3300 anos a.C. Essas deusas eram cultuadas em seus templos, nos quais as funções sacerdotais e oraculares eram desempenhadas por mulheres. No Egito antigo, as mulheres desfrutavam de muita consideração e respeito, tendo um status elevado e sendo as transmissoras do nome e da propriedade para seus descendentes. As rainhas eram o elo entre uma dinastia e outra e a herança real seguia pela linhagem feminina. Somente muito tempo depois que o culto das deusas foi substituído pelo dos deuses, passando então o faraó a ser considerado a manifestação do próprio Deus.

Mesmo assim, Ísis continuou a ser cultuada até a conquista do Egito pelos Romanos. Vestígios de seus atributos, nomes, representações e santuários foram adotados pelo Cristianismo, na veneração de Maria.

Uma deusa egípcia menos conhecida é Anuket, a “personificação” da fonte do Rio Nilo, que nascia do seu ventre. Era representada com quatro braços – que simbolizavam a união dos princípios feminino e masculino – sendo ela “A Una”, nascida por ela mesma e, apesar de virgem, geradora do Deus Solar. Versões posteriores lhe atribuíram um consorte – Knemu - considerado o criador, casado com duas irmãs – Anuket e Satet - às quais ficou atribuída somente a regência das cataratas do Nilo.

No mito original, Anuket, “A que abraça”, gerava a vida e seu emblema era o búzio – símbolo universal do yoni, a vulva, usado em vários países como amuleto para a fertilidade, renascimento, cura, poder mágico ou boa sorte. Segundo algumas fontes, um dos seus nomes, Anka, “A Senhora da Vida”, deu origem à palavra ankh, “A Chave da Vida”, antigo símbolo feminino que representava o yoni da Deusa e a imortalidade dos deuses, assegurada pelo sangue divino da Deusa. Nos selos antigos, a parte ovalada da ankh era pintada em vermelho, enquanto a cruz fálica era branca. Mais tarde, a ankh ficou conhecida como “A Chave do Nilo”, reproduzindo a união mística de Ísis e Osíris, que provocava a inundação anual do rio que fertilizava as terras ribeirinhas.

Para as mulheres contemporâneas, o arquétipo de Anuket é um poderoso incentivo para que reconheçam sua capacidade inata de gerar e nutrir, não apenas aos outros, mas a si mesmas, bem como as múltiplas possibilidades existentes para sua realização sem, no entanto, quererem “abraçar o mundo com suas mãos”.

5. Meditação

Anuket - Troca de Pele (Segure a Serpente)

Transporte-se mentalmente para as areias quentes do deserto, no antigo Egito. Ande devagar! O ar está calmo e o sol incandescente do meio dia ilumina o Rio Nilo. Seus olhos ofuscados pelo brilho do sol observam o horizonte e depois a areia que abarca os seus pés. Você observa um movimento na areia amarelada e, de repente, visualiza uma serpente que se enrosca como uma espiral, para sair da toca, de dentro da areia. Continue observando.

É necessário um grande esforço da cobra para ela se desvencilhar dos obstáculos que existem no túnel debaixo da areia.

Olhe agora para seus pés, eles se transformam numa grande cauda e você se vê também serpenteando nas areias quentes do deserto. Aproveite este momento para liberar e transmutar sua energia. Conscientize que esta é uma oportunidade de renovação, libertação de antigos hábitos que minam seu raciocínio e prejudicam o seu caminhar com firmeza.

Libere o veneno do “Ego”, da raiva, de sentimentos que lhe prejudicam e não deixam que você avance e galgue novos estágios na sua vida. Pense em todos os momentos em que você não conseguiu expressar sua dor.

Mude de pele com vontade e intenção! Traga para você a força e a luz do sol do meio dia, transferindo essa energia escura e densa para as pedras da beira do Nilo. Se sentir vontade, grite até o seu SER sentir que a troca de pele foi feita. Ao final, quando se sentir pronta, abençoe-se.

Bênção: Pingue algumas gotas essência de rosas ou lavanda nas suas mãos e esfregue com delicadeza. Posteriormente, desenhe a estrela de 5 pontas (Pentagrama) e diga: Anuket abençoe meu ventre para que eu possa conectar-me à energia curativa do universo e fortalecer minha criatividade e a minha sexualidade.

6. Prática Mágica

Vidência com o espelho
O Espelho é um objeto mágico e potente para trazer à tona questões relativas à identidade pessoal e áreas potenciais para o nosso desenvolvimento. O espelho de adivinhação, como no Egito Antigo, é eficaz para nos auxiliar na descoberta da identidade de um futuro parceiro, nas respostas de perguntas sobre o amor, a fidelidade, o matrimônio e o amor nos relacionamentos. Ressalta-se ainda as questões sobre fertilidade, preocupações familiares e descoberta da localização de um item ou animal perdido ou, até mesmo, sobre uma questão oculta.

Agora, consciente desta orientação, segure o espelho de forma que a luz da vela reflita no espelho e, mentalmente, faça uma pergunta a Deusa Anuket.

Incline o ângulo do espelho para que você não veja o reflexo do seu próprio rosto, a menos que você esteja à procura de si mesma e da sua verdadeira luz.

Aguarde as imagens se formarem dentro do espelho ou na sua terceira visão. Ambos são igualmente válidos e com a prática você poderá converter as imagens de sua psique para o espelho. Para fazer isto, visualize a imagem de um túnel de luz que passa no centro de sua testa, aonde se localiza a terceira visão (o psíquico), para que as imagens se formem dentro do espelho.

Alternativamente, comece visualizando a imagem que você observou em sua mente sobre a superfície do seu espelho mágico. Então, gradualmente, veja a imagem no fundo de dentro do espelho se tornando tridimensional. Você pode ver imagens individuais ou cenas inteiras. Caso tenha dificuldade, feche os seus olhos, pisque e volte a olhar dentro do espelho, observando e memorizando qualquer imagem que você perceber ou receber em sua mente. Após receber uma imagem, desvie o olhar ou pisque ou feche os olhos. Continue até receber a resposta através das imagens.

Escreva no desenho da Ankh as imagens recebidas.

Esta proteção deverá ser colocada na porta da entrada da sua casa, para te proteger de todas as energias intrusas.

7. Encerramento

Finalização com uma Dança Egípcia com olhos fechados e sentindo toda a expansão do seu SER. Ao final, abrir o círculo de proteção.

Música (sugestão): Ankh (Solferino & Ibis Babe)

Está feito!

Em Perfeito Amor e Em Perfeita Confiança!

Mirella Faur, Inês, Adalene e Léa Beatriz

Teia de Thea - Flor das Estrelas