19 DE MAIO
Kallynteria e Plyntheria, cerimônias de purificação e louvação da deusa Pallas Athena/Minerva, na antiga Grécia e em Roma. Suas estátuas eram lavadas nos rios ou nos lagos, ficando imersas por um tempo para absorver a energia renovadora da água. Depois, as mulheres vestiam as estátuas com túnicas e adornos novos, levando-as em procissão solene pelas ruas, em total silêncio e reverência. Esta purificação estendia-se às residências, onde os altares familiares e todos os cômodos eram limpos, pintados e redecorados. Varria-se o “velho” e abria-se espaço para um novo ciclo, invocando as bênçãos da Deusa.
Aproveite esta data e faça uma boa limpeza no seu altar. Lave os cristais, deixando-os imersos na água de chuva ou de fonte ou em água comum com algumas gotas de limão e sete gotas de essência de pinheiro ou eucalipto. Exponha-os à luz do Sol ou da Lua, defume-os com incenso de sálvia ou mirra. Medite a respeito da arrumação de seu altar e troque ou acrescente o que for necessário.
Limpe também sua casa, como faziam nossos ancestrais, arejando roupas e calçados, espanando as teias de estagnação e a poeira do passado. Arrume seus armários, desfazendo-se do que não mais necessita ou usa. Abençoe seus utensílios de limpeza (espanadores, vassouras e aspirador) para que possam captar não apenas a sujeira material, mas também a “poeira” astral. Finalize com uma oração para sua própria limpeza psíquica e energética.

*informações extraídas do livro “ O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.