Celebração do Dia

25 DE AGOSTO
Dia de Canadainaigua, o festival das luzes na tradição nativa norte-americana. Costumava ser celebrado apenas por moças virgens em agradecimento pela colheita. Honrava-se a deusa Hatai Wuhti ou Awitelin Tsita, a mãe criadora da vegetação e do homem, gerado – segundo a lenda – pelo toque dos raios solares em seu ventre virgem. Também chamada de “Vaso Quádruplo”, ela criou as montanhas, as nuvens e a chuva. Dessa maneira, Hatai Wuhti, juntamente com o Pai Céu, seu consorte, garantiu a sobrevivência de seus filhos. Considerada uma deusa da Terra, Hatai Wuhti, às vezes se apresentava como uma enorme aranha vermelha.
No sul da Índia, cultua-se Hathay, a deusa anciã, uma das encarnações de Parvati.
Em Roma, celebração de Opseconsiva, o festival da colheita dedicado à deusa Ops. Ela representava a fartura e a opulência, palavra que se originou de seu nome. Ops era uma deusa pré-helênica muito antiga, equiparada posteriormente, a Rhea, a deusa grega da terra, honrada com flores, vegetais, cereais e frutas. Seus seguidores sentavam-se sempre no chão, honrando, assim, a terra.
Conecte-se à energia da terra, caminho descalça, abraçando uma árvore, honrando seus irmãos de criação ou ofertando algum produto da terra às deusas Ops e Hatai Wuhti.

*informações extraídas do livro “ O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.