Celebração do Dia

30 DE JUNHO
Oferendas e rituais de agradecimento para Zaramama, a Mãe dos Grãos no antigo Peru. Acreditava-se que ela encarnava na terra na forma de espiga de milho com alguma característica especial, como espigas germinadas ou cores estranhas. As pessoas ofertavam-lhes espigas, pendurando-as nas árvores, algumas delas “vestidas” como se fossem mulheres, com saias e xales. Depois das danças ritualísticas ao redor das árvores enfeitadas com oferendas, as espigas eram queimadas para assegurar uma boa colheita e as pessoas festejavam bebendo cerveja de milho.
Dia de Aestas, a deusa do milho e do verão celebrada em Roma durante o festival de Aestatis.
Na mitologia de vários países encontra-se a personificação do milho como mulher, mãe ou donzela.
Em outras culturas, a Deusa manifesta sua essência na última espiga escolhida, que era guardada para ser misturada às sementes para serem usadas no próximo ano.
Os povos nativos norte-americanos veneravam as Mães do Milho (Corn Mothers), enquanto os europeus faziam oferendas às Korn Mutter e às deusas Ziza e Zytniamatka.
Honre, você também, as deusas dos grãos fazendo, pessoalmente, um pão ou um bolo. Reúna seus familiares ao redor de uma mesa enfeitada com espigas de trigo e de milho e faça uma oração de agradecimento pelo seu sustento. Agradeça a Mãe Terra, às deusas dos grãos e frutos, aos Devas e a todos os seres elementais. Peça para que jamais lhe falte alimento e lembre-se de todas as crianças famintas no mundo, mentalizando soluções para seu sofrimento. Reparta o pão / bolo com seus familiares e leve um pedaço a uma árvore, junto com uma espiga ou um punhado de milho e uma fruta. Ofereça-os com gratidão às deusas dos grãos e assuma o compromisso de ajudar as crianças carentes ou abandonadas.

*informações extraídas do livro “ O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.