Celebração do Dia

21 DE OUTUBRO
Na Grécia, ritual dos Kouretes, sacerdotes dedicados ao culto da grande mãe Cibele, servindo como iniciadores nos mistérios da vida e das artes mágicas. Como mestres e protetores dos jovens, criaram a Ordem Sagrada dos Sacerdotes da Grande Mãe.
O nome “kouretes” tem origem na expressão “filhos de Cronos”, o consorte da deusa Rhea que devorava seus filhos com medo de ser destronado. Os “kouretes” eram jovens dedicados ao serviço da Deusa, perpetuando uma antiga linhagem de sacerdotes que cultuavam a Grande Mãe e as divindades matrilineares antes do surgimento das sociedades patriarcais. Antigos hinos descrevem os “kouretes” como jovens praticando artes marciais em forma de dança.
Supõe-se que as danças folclóricas que usam armas, espadas e escudos são reminiscências dessas antigas práticas sagradas. Os “kouretes” tinham, também, a atribuição de proteger os jovens, atuar como curadores, artesãos, construtores, armeiros, magos, videntes e participar dos ritos sexuais junto com as sacerdotisas.
Na Alemanha, antiga celebração de Horsel, a deusa da Lua e da noite, padroeira dos cavalos e dos cavaleiros. Nos antigos locais de culto a essa deusa, foram erguidas igrejas cristãs dedicadas à Santa Úrsula. O nome dessas cidades é derivado do nome da deusa - como Horselberg e Horsenden -, comprovando sua veneração.
Dia de Santa Úrsula, a cristianização da antiga deusa eslava lunar Orsel ou Úrsula, cujo animal totêmico era o urso, assim como a deusa Ártemis/Diana. Ela era representada cercada por onze mil virgens, que simbolizavam as estrelas.

*informações extraídas do livro “ O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.