Celebração do Dia

25 DE ABRIL
Festa africana da deusa da agricultura Tji Wara. Para garantir a abundância das colheitas, os camponeses invocavam sua bênção no ato do plantio e reverenciavam-na no momento da colheita, oferecendo-lhe os primeiros frutos e espigas de milho e, às vezes, sacrificando algum animal, salpicando, depois, seu sangue sobre a terra.
Na Estônia, comemora-se neste dia, MaEmma, a Mãe Terra, com oferendas de leite, manteiga e lã, colocadas ao pé de árvores velhas ou sobre lajes de pedra. As mulheres iam em procissão, levando as oferendas e recitando esta oração: “Mãe, você me deu, agora eu lhe dou. Aceite de mim, o que eu recebi de você”.
Antigamente em Roma, celebrava-se neste dia, Robigália, o festival da deusa dos grãos Robigo, invocando sua proteção para proteger as plantações de milho das pragas e ervas invasoras.
Na Inglaterra, festeja-se “O Dia do Cuco”. A chegada deste pássaro migratório, proveniente do sul, assinalava o início do verão.
Uma antiga prática divinatória recomendava que as moças desejosas de “ver” seus futuros maridos deveriam jejuar durante o dia e preparar um bolo de cevada e trigo. Ao cair da noite, deveriam colocar o bolo na soleira da porta e esperar algum presságio nos sonhos ou a aparição de um sinal ou símbolo no bolo.

*informações extraídas do livro “ O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.