Celebração do Dia

18 DE DEZEMBRO
Nos países eslavos, festejava-se a deusa equina Epona, cujo culto foi mantido pelos romanos e sincretizado ao da deusa romana Ops.
Epona era considerada pelos romanos como a protetora dos cavalos, enquanto Bubona era a protetora do gado. Epona era representada de três maneiras: cavalgando uma égua branca; em pé, cercada de cavalos ou deitada nua sobre um cavalo. Às vezes, segurava um cálice ou um prato redondo ou ainda uma cornucópia. Segundo algumas fontes, Epona originou um verdadeiro culto ao cavalo, cujas reminiscências são encontradas nas gigantes reproduções de cavalos em várias colinas calcárias da Inglaterra e na frequência do nome Cavalo Branco para lugares, “pubs”, lendas (como a de Lady Godiva) e de “fantasmas” de mulheres a cavalo.
Epona detinha o poder sobre o ciclo da vida dos homens, do berço ao túmulo e por isso seus símbolos eram um pano branco e uma chave, que abria todas as portas do além.
Comemoração da antiga deusa equina irlandesa Etain, “A Veloz”, a padroeira da magia e da cura. Etain era também uma deusa solar, padroeira irlandesa da medicina. Filha do deus da cura Dian Cecht, ela casou-se com Ogma, o deus da literatura e da eloquência.
Celebrações de Consuália, homenageando os deuses romanos Saturno e sua consorte Ops, assinalando o fim do ano agrícola.

*informações extraídas do livro “ O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.