Celebração do Dia

18 DE OUTUBRO
Antiga comemoração da deusa Vir-ava, a Senhora das Florestas na mitologia finlandesa. Ela assumia uma forma diferente em cada floresta, podendo aparecer como árvore ou como uma mulher, com seios enormes, pernas grossas como troncos, cabelos longos e emaranhados como raízes. Às vezes, ela aparece perto das fogueiras dos lenhadores para aquecer suas longas e nodosas mãos.
Na Finlândia, também se celebra Tava-ajk ou Ganis, deusa da terra, da natureza, da fertilidade e da sexualidade. Ela aparecia com uma linda mulher, com uma longa cauda, seduzindo os homens com sua bela voz. Às vezes ela se dividia, surgindo como um casal. A mulher vestia um manto verde e um chapéu com as agulhas de pinheiro, enquanto que o homem tinha uma barba de folhas. Vistos por trás, o casal parecia apenas um tronco de árvore.
Até hoje, em alguns lugares da Inglaterra, acontece, neste dia, a Grande Feira Anual dos Chifres, celebrando os poderes de fertilidade e virilidade da natureza animal e humana. Já há muito tempo atrás, os homens desfilavam pelas ruas adornadas com chifres para homenagear Cernunnos. Atualmente, muitos círculos e adeptos da Wicca realizam rituais e cerimônias honrando-o como Deus Cornífero da caça, da natureza selvagem, da virilidade e do amor físico. Além de ser o símbolo do próprio masculino, Cernunnos é o consorte da Deusa. Os “covens” de Wicca geralmente reverenciam a Deusa com um ritual chamado “puxar a Lua” para a Sacerdotisa, que é o elemento principal da cerimônia. No entanto, neste dia, realizam o ritual de “puxar o Sol” para o sacerdote, que representa o deus Cernunnos.

*informações extraídas do livro “ O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.