Celebração do Dia

26 DE JUNHO
Na Polinésia, reverenciava-se a Mãe Ancestral, criadora da vida, da Terra e de todos os seres, com oferendas e orações para assegurar a nutrição, a saúde e a segurança de seu povo. Dependendo do lugar, seu nome era Ligapup, Lorop ou Papa.
Niman Kachina, a chegada dos Kachinas nos Pueblos Hopi, nos Estados Unidos, festejados durante dez dias com danças e cantos. Os Kachinas eram divindades ligadas às forças da natureza e, uma vez por ano, traziam bênçãos para as pessoas, voltando depois para seu mundo subterrâneo.
Dança do milho dos índios Iroquois, celebrando a colheita e agradecendo às divindades da Terra e da natureza: Eithinoha, a Mãe Terra e mãe do milho e Aataentsic, “A mulher que Caiu do Céu”, a mãe dos ventos e criadora da vida.
Celebração de Feng Po, a deusa chinesa do tempo, senhora dos ventos e dos animais selvagens. Feng Po controlava os ventos cavalgando um tigre dourado e guardando-o em sua grande sacola presa nas costas.
No folclore irlandês, acredita-se que ao meio-dia pode ser vista a entrada secreta para o centro da terra no topo do monte Scartaris.

*informações extraídas do livro “ O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.